Aluguel do estúdio: 5 dicas para negociar

Negociando o aluguel do estúdio

Negociar o aluguel da sala pode ser um grande trunfo nesse momento. Isso porque, em muitos estados, a realidade do estúdios de Pilates ainda é a mesma: portas fechadas. Mas como resistir a crise e ainda assim manter a saúde financeira do seu negócio?

São tempos de desafios e de ajuda mútua, onde todos precisam ceder de alguma forma e ajudar ao outro. O que será do locador se você precisar entregar a sala onde funciona o estúdio? Dificilmente ele alugará novamente, não neste momento de incertezas em que vivemos por conta da pandemia. você também não quer perder o seu ponto. Então, é hora de negociar o aluguel! Mas como fazer isso? Nós sabemos que essa questão está preocupando muitos profissionais. Por isso, trouxemos um texto sensacional, baseado em um vídeo de Chris Craytor e Brad Simpson, para a IHRSA Fitness Brasil.

Craytor é membro da diretoria da IHRSA e Presidente da ACAC Fitness & Wellness Centers, rede de academias regional que atende a mais de 65 mil alunos. Brad Simpson é Vice Presidente de Iniciativas Estratégicas na Legacy Management Group.

5 dicas que você precisa para negociar o aluguel do estúdio:

1 – Leia o seu contrato de locação do início ao fim;
2 – Converse com o dono, ou responsável pelo imóvel;
3 – Entenda a sua posição de negociação, seja honesto e transparente;
4 – Entenda como será o processo de reabertura e siga as recomendações necessárias;
5 – Pesquise sobre os programas do governo disponíveis

Dica 1: leia o seu contrato de locação do começo ao fim

PUBLICIDADE
Outubro Rosa MetaLife 2020
Outubro Rosa MetaLife 2020

A primeira coisa é ler o seu contrato de aluguel mais de uma vez. Depois, consulte o seu advogado e peça para que repasse com você, pois ele terá uma interpretação diferente.
Isso é importante, pois podem haver disposições pequenas que podem ser de grande importância em um momento como esse.

Em alguns casos, há contratos que prevêem esse tipo de circunstância, que consiste em parada por determinação governamental. Portanto, como esse é o caso, é possível notificar os proprietários sobre o fechamento temporário por escrito, conforme indicado pelo documento de locação, a fim de proteger nossos direitos como inquilino.
Por isso, tenha muito cuidado ao fazer a leitura tendo em vista as situações que estão fora do seu controle, para se proteger de qualquer ação legal que possa acontecer em relação ao seu aluguel.

Dica 2: converse com o dono, ou responsável pelo imóvel

Se perceber que você não terá condições de pagar o aluguel, converse com o proprietário. Ou mesmo com o responsável pelo imóvel. Saiba que a pandemia é um problema de todos, incluindo o dono do local. Não fuja do problema, pois, honestamente, se alguém estiver atento às regras do contrato, poderá iniciar um processo contra você rapidamente, caso não pague o que foi acordado.

Não precisa necessariamente ligar e dizer “eu não vou pagar você”. O indicado é que você inicie uma conversa: “Olá, essa é uma situação sem precedentes, um evento incomum. Não queremos que você entre em pânico, pois nós não entramos. Você sabe que estamos comprometidos com esse contrato. Queremos descobrir outras formas que sejam boas para ambas as partes”.

Digamos que você tenha um contrato de dez anos e esteja no terceiro mês. Nesse caso, se você perder um ou dois meses, você pode negociar para que tenha direito a esses dois meses após os 10 anos. Converse e entre em acordo com iniciativas assim.

Quando se mantém um relacionamento com os proprietários, por meio de visitas mensais ou algo do gênero, é pouco provável que eles não queiram procurar por soluções. Por isso, conheça o seu locador e os seus gerentes do banco. Não tente iniciar um relacionamento só no meio da crise. Tendo um bom contato durante essa situação de crise, é mais provável que você consiga o que precisa. Mesmo assim, não é tarde para começar. Como Brad disse inicialmente: esteja aberto, e seja honesto.

Esteja aberto, e seja honesto

Todos nós entendemos o problema, e todos nós somos afetados por ele. Por isso, ninguém vai dizer que está imune a algumas das pressões que estão sendo impostas para a economia.

É assustador atender ao telefone e falar com alguém com quem você não se comunica regularmente, mas entenda que assim que fizer isso, tenha certeza de que se sentirá melhor. Há certos proprietários no meu negócio com quem nós não conversávamos com frequência. Tínhamos ótimos relacionamentos, mas não é como se nós visitássemos sempre. Eu estou falando de uma forma simples, mas sei que não é.

Ligue para eles e, mesmo que seja deixando uma mensagem, diga algo como “Oi, eu preciso falar com você sobre o nosso aluguel”. E, quando eles retornarem, é só começar uma conversa franca, do tipo “Essa situação é inédita, e sei que você também está afetado. Estamos tentando resolver, lutando todos os dias. Não entramos em pânico, e queremos que você também não entre. Estamos realmente comprometidos com a locação”.

Mantenha proximidade ou aproxime-se

O elemento chave é ligar, e não enviar mensagens. Há muito menos chance de uma conversa dar errado do que um e-mail, especialmente em tempos de tensão, quando as pessoas estão atrás de problemas. Uma mensagem escrita abre espaço para discussões não intencionais. Então, de qualquer forma, ligue quando estiver disponível.
Não há estigma por querer buscar esse acordo. Porque adivinhem? Seu locador está buscando fazer o mesmo acordo.

Se o seu locador estiver fazendo o trabalho dele, ele também vai ligar para o banco e dizer: “Vamos negociar para que eu possa adiar o meu pagamento”. Eles estão tendo exatamente a mesma conversa.

Dica 3: entenda a sua posição de negociação, seja honesto e transparente

Seja honesto e transparente. A maioria das pequenas empresas recebem prorrogação das dívidas dos seus bancos por um certo período de tempo. Por isso, seu locador provavelmente está na mesma condição. Se eles dizem “bom, agora eu não posso pagar o meu empréstimo”, isso não é necessariamente verdade. Pode ser em certos casos, mas você pode informar a eles que é possível ter a dívida prorrogada pelo banco.

Muitos bancos, no momento, estão adiando os pagamentos de principal e juros. Isso significa que muitos proprietários também têm empréstimos que não estão sendo pagos. Assim, em muitos casos, recebemos o adiantamento dos pagamentos de aluguel.
Portanto, como Brad indicou, presumir que você tenha um canal de comunicação aberto informando que você pretende suspender o aluguel por um período não é incomum e nem inédito nessa situação. De fato, a maioria dos proprietários provavelmente já esperam que você tenha essa conversa.

Entenda sua posição na negociação do aluguel

Alguns deles também entendem que não há outra pessoa esperando para preencher o seu espaço imediatamente. Portanto, qualquer pressão que você sinta ou o proprietário exerça sobre você, não se aplica a esse momento. Não há ninguém na fila para alugar o seu estabelecimento em tempos de recessão da economia.
Por isso, a questão pede que se converse em termos de: “em vez de o aluguel vencer em tal dia, que tal fazermos um novo acordo e escolhermos uma nova data, de acordo com o estado dos negócios?”.

Você terá que ser criativo, e ver isso à longo prazo. Daqui a 15 anos, onde estaremos e como estruturaremos isso agora para chegarmos até lá?

Dica 4: entenda como será o processo de reabertura e siga as recomendações necessárias

Trabalhe em equipe com o proprietário para elaborar um plano de abertura que não comprometa a verba disponível. Como será quando você reabrir? Quais serão as suas despesas?

Digamos que abriremos em setembro. Teremos, então, aluguel, folha de pagamento. Temos tudo isso, mas será que teremos todos os clientes?
Como negociamos efetivamente com nossos proprietários para reabrir sem precisar regularizar o pagamento normal de uma hora para outra?

Dica 5: Pesquise sobre os programas do governo disponíveis


Faça uma pesquisa sobre os programas governamentais disponíveis para ajudá-lo a preencher as lacunas, não apenas no fluxo de caixa operacional e salarial, mas também imobiliário. Muitos gestores podem se encaixar em critérios de alguns empréstimos e auxílios. Você pode ou não se qualificar, mas recomendamos que você procure bem para ter certeza.

Por fim, conheça seus direitos sobre o despejo. Muitos estados e países estão aprovando leis relacionadas a despejos, comerciais e residenciais, além de decretos relacionados a serviços públicos que não estão sendo desativados por falta de pagamento durante a pandemia. Faça essa pesquisa.

Você também pode – mesmo no pior cenário, em que não se pode pagar uma conta – ter um subsídio constitucional caso alguém tente despejá-lo.

Brad e eu não somos advogados para esclarecer. Então, de qualquer maneira, o que aconselhamos por fim é que você fale com um advogado. Além disso, verifique se você tem alguém devidamente certificado cuidando disso. Muitas vezes as pessoas se sentem advogados amadores e acham que podem fazer isso sozinhas. Somos inteligentes, mas não o suficiente para sabermos tudo e para saber quando precisamos envolver profissionais.

PUBLICIDADE
Outubro Rosa MetaLife 2020