Aposte na carreira Pilates

Aposte na carreira Pilates

Segundo notícia divulgada recentemente pela Fecomercio (SP), a busca por qualidade de vida impulsiona cada vez mais negócios no setor fitness.”De 2010 a 2016, o número de academias no Brasil duplicou, fazendo com que o País ocupasse a segunda posição em número de empresas dessa modalidade, atrás apenas dos Estados Unidos.”

E com o Pilates não é diferente. O número de estúdios vêm aumentando vertiginosamente nos últimos anos. A modalidade pode ser aplicada a todos os tipos de públicos e voltada às mais diversas finalidades. Sendo assim, é uma ótima opção para quem é da área da saúde e ainda não sabe em qual carreira investir.

Quem pode dar aulas de Pilates?

Segundo a legislação brasileira, somente dois profissionais estão habilitados a dar aula de Pilates: o Fisioterapeuta e o Educador Físico. Conheça as leis:

A resolução número 201, de 2010, do Conselho Federal de Educação Física (Confef), reconhece o Pilates como modalidade e método de ginástica que, como tal, deverá ser orientado e dinamizado por Profissionais de Educação Física. Veja a resolução completa aqui.

PUBLICIDADE
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates

De acordo com a Resolução 386, de 2011, publicada pelo Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (Coffito), compete ao fisioterapeuta o exercício desta técnica, prescrevendo, induzindo o tratamento e avaliando o resultado a partir da utilização de recursos cinesioterapêuticos e mecanoterapeuticos. Leia aqui.

Essa Resolução dispõe ainda, em seu Artigo 2º, que para os efeitos éticos e legais, o fisioterapeuta que aplica o método Pilates “estará vinculado ao controle ético e fiscalizatório do Sistema Cofitto/Crefitos”. Vale ressaltar que a prática exige o devido registro do profissional, consultório ou empresas no Crefito de sua circunscrição.

É necessário ter concluído a faculdade de Fisioterapia ou de Educação Física para poder dar aulas de Pilates. Um estudante pode não ter todo o conhecimento necessário para aplicar a técnica nos clientes, principalmente, se eles necessitarem do Pilates para reabilitação.

Formação em Pilates

Depois de concluir a faculdade, é necessário fazer um curso de formação em Pilates. Existem vários no mercado. Portanto, é importante pesquisar bem e escolher o melhor custo-benefício. Investir em uma boa escola de Pilates pode fazer toda a diferença no seu currículo no futuro. Não adianta nada fazer um curso online ou de um final de semana e não ter conhecimento suficiente e nem segurança para atender aos clientes, certo?

Onde trabalhar?

Trabalhar em um estúdio com pessoas experientes logo no começo da carreira pode ser muito benéfico. Afinal, você vai pegar muitas dicas bacanas que ajudarão a formar a sua identidade profissional. Veja os tipos de estúdios:

Clínica
O estúdio pode estar localizado dentro de uma clínica médica, o que tem se tornado muito comum. A vantagem é que o ambiente já tem uma clientela ativa, o que vai facilitar a conquista de alunos.

Academia
Muitas academias têm um espaço de Pilates integrado ao ambiente de musculação. O benefício está na boa estrutura do local e no número de clientes já bem definido.

Ponto comercial
O estúdio em espaço próprio tem mais visibilidade, mas exige mais planejamento e capital para bancar a estrutura – luz, água, telefone, recepcionista, aluguel.

Hotel ou condomínio
Os pontos positivos desse tipo de estúdio são o espaço, que geralmente é planejado, e o público, que pode ter alto poder aquisitivo.

Montando o próprio estúdio de Pilates

Quando decidir começar o seu próprio negócio Pilates, não deixe de atentar às nossas dicas. Esse é um dos únicos negócios do mercado que requer baixo investimento inicial e que apresenta boa rentabilidade em pouco tempo. Outro ponto positivo é a boa margem de lucro, que, segundo dados do SEBRAE, pode chegar a 60%.

1 – Faça um Plano de Negócios
Em suma, no Plano de Negócios você vai pesquisar o mercado e descrever todos os objetivos do seu negócio Pilates, incluindo os passos que devem ser dados para que esses objetivos sejam alcançados. Depois, só ir seguindo as etapas no tempo certo. Com ele, fica muito mais fácil chegar na concretização do seu sonho.

2 – A escolha do local
Antes de mais nada, é importante definir o local. Sim, essa é umas das tarefas mais difíceis e mais importantes. A localização e o ambiente vão ajudar a definir, inclusive, o público que você vai atingir, ou seja: o sucesso do seu negócio Pilates.

Dependendo de onde for instalado, o espaço terá algumas características diferentes dos demais. Clínica, condomínio, academia, prédio comercial e hotel são algumas das possibilidades, como já citamos acima. Conheça cada um desses ambientes, com detalhes, no nosso e-book gratuito. Clique aqui para baixar.

3 – A definição do nome, da marca e da forma de atuação
Outra tarefa difícil, porém gratificante: definir um nome e uma marca para o seu negócio Pilates. O nome e a marca são a identidade da sua empresa e podem refletir diretamente a sua área de atuação. Vale procurar profissionais de marketing e criação competentes para ajudar nesse processo. Outra dica é buscar os conselhos regionais da sua profissão, e até mesmo o Sebrae, para pegar dicas e definir o seu tipo de negócio e a forma como vai trabalhar. Independente da escolha, o importante é cumprir todos os passos e registrar corretamente o seu negócio Pilates, seja na junta comercial, ou mesmo na Prefeitura.

4 – A escolha dos equipamentos
Local definido, parte burocrática pronta, agora começa a melhor fase: escolher os equipamentos – os instrumentos de trabalho que vão te acompanhar por muitos e muitos anos. Pesquise, peça conselhos de outros profissionais de Pilates já estabelecidos no mercado e, por fim, opte pelo melhor custo-benefício. Nessa hora, preste muita atenção em quesitos como: tempo de mercado, materiais utilizados, segurança, robustez, durabilidade, assistência técnica e versatilidade. Alguns equipamentos, como os da Metalife, possuem diferenciais exclusivos, que tornam a vida dos instrutores muito mais simples, as aulas mais dinâmicas e a experiência do usuário muito melhor, por conta de itens como estabilidade e conforto, por exemplo.

5 – A divulgação do estúdio
Os equipamentos já chegaram, a decoração está toda pronta, agora é hora de comunicar que o seu negócio Pilates existe. Como? Redes sociais, banner, outdoor, faixa, site, panfleto, folder, cartões, aulão na praça do bairro, sinal de fumaça… não importa o meio, mas você precisa se inserir na vida da comunidade e ‘aparecer’. Mostre às pessoas que o estúdio existe e divulgue todos os benefícios que você pode oferecer.

Depois, divida com a gente a sua história de sucesso!