Cartão de crédito no estúdio de Pilates?

O QUE LEVAR EM CONSIDERAÇÃO E OS MOTIVOS PELOS QUAIS VOCÊ DEVE IMPLANTAR ESSA FORMA DE RECEBIMENTO AINDA HOJE!

Uma questão que sempre surge em meio às conversas com outros empreendedores do ramo diz respeito às formas de pagamento. Nesse post, quero me concentrar no Cartão de Crédito, visto que há muitas coisas que precisam ser levadas em consideração antes de dar esse indispensável passo.

Donos de estúdios de Pilates sempre perguntam: Devo aceitar pagamentos em cartão?

Em alto e bom som: “SIM”, se você não faz isso ainda, saiba que está perdendo em vários aspectos, como por exemplo:

Limitando as formas de entrada em seu caixa;
Abrindo mão da forma MAIS UTILIZADA de pagamentos atualmente;
Procrastinando a decisão da venda;
Se limitando a planos mais curtos; (Cheques podem ser sustados, boletos não pagos e você, vai processar o aluno por causa de uma mensalidade?) Já no cartão, depois que o pagamento foi realizado, não tem como voltar atrás, apenas numa possível rescisão de contrato, que você definirá os termos.

PUBLICIDADE
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates

O momento da visita, aula experimental, aula de apresentação, avaliação, como preferir chamar, é um momento chave. Ali você tem o objetivo de causar uma primeira boa impressão, apresentar seu trabalho, os diferenciais e no final oferecer uma condição atrativa para que o futuro aluno assine um contrato e se matricule em seu estúdio. Até aqui tudo está perfeito.

No entanto, na hora de concluir esse processo, na hora “H”, você, com uma expressão de pesar, diz a pior frase para o momento: “Ahh, infelizmente não aceitamos cartão! 🙁 podemos acertar na próxima sessão!”, saiba que nesse momento, você está a um passo de estragar tudo.

Daniel Goleman, em Inteligência Emocional, diz: “Cerca de 80% das nossas decisões são emocionais!”. Sendo assim, ao permitir que seu aluno volte pra casa sem de fato efetuar a matrícula, ainda que tenha assinado o contrato, você permite que seu aluno passe a racionalizar a decisão, e a partir disso, venha deixar para começar depois! (O que é muito comum, principalmente se a pessoa não é fisicamente ativa, pois criar novos hábitos não é algo tão simples). Depois de uma viagem, depois das férias, depois que organizar a sua agenda, ou pior, uma amiga falou de outra atividade e ela resolveu tentar antes do Pilates ou simplesmente a pessoa some e não aparece mais. Com certeza isso já aconteceu se você não tem ali no ato, uma maquininha de cartão para que ele possa sair matriculado.

Compreendido que aceitar cartão de crédito é de suma importância nos dias de hoje, vamos para o próximo e decisivo passo: Qual maquininha eu devo utilizar?

Existem dezenas de opções no mercado de cobranças. Empresas maiores, menores, consolidadas ou start-ups. No entanto, em todas elas você precisa ter em mente as seguintes informações:

Qual o preço/aluguel da máquina:

Refere-se ao valor mensal que será pago para a operadora de sua máquina. Atualmente existem diversas opções isentas de aluguel, onde você adquire a máquina por um valor e após isso ela passa a ser sua.

No entanto, geralmente as máquinas atreladas aos bancos (você tem uma conta bancária, vai ao gerente falar que precisa de uma maquininha e ele logo vai oferecendo a melhor opção [muitas vezes para ele]). Geralmente essas máquinas possuem uma taxa de aluguel que pode ser:
Fixa: Onde você tem um valor previsto debitado de sua conta corrente em todo dia determinado;
Variável: Há operadoras que cobram mais conforme você vende mais, outras que isentam você do pagamento caso seus recebimentos ultrapassem um valor pré-estabelecido.

Quais as taxas?

Qual será o % de cada compra a ser cobrado pela operadora. Esses valores diferem para recebimentos em débito ou crédito. Também há diversas maneiras pelas quais essa cobrança pode ocorrer:
– Taxas fixa;
– Taxas fixas + acréscimo por parcela (no caso de crédito parcelado);

No débito os valores variam entre 1,3 a 2,99%, já no crédito, essa diferença pode ser muito grande. Em nosso vídeo explicativo encontramos taxas entre 2,26 a 38%! Sim, a diferença pode ser ABSURDA, então é fundamental pesquisar e encontrar informações CLARAS, visto que nesse meio existem tantas variáveis e informações confusas.

Quais as formas de repasse?

Diz respeito ao tempo em que o dinheiro será debitado na sua conta e também como isso será realizado. Na maioria absoluta dos casos, o dinheiro é depositado numa conta cadastrada. No entanto, opções como PagSeguro deixam o recebimento em sua própria plataforma e então será necessário a solicitação dessa transferência. Quanto ao tempo de pagamento, é variável conforme o modo de recebimento:

Débito: Geralmente em 24 ou 48 horas o dinheiro estará disponível;
Crédito: Nesse caso as variáveis podem ser maiores. Geralmente o dinheiro ficará disponível apenas 30 dias após o pagamento. No entanto você pode solicitar a antecipação, pagando um acréscimo considerável de taxas (%) para isso, definitivamente não vale a pena. Algumas operadoras trabalham apenas com recebíveis antecipados, outras com o pagamento total da compra após 15 ou 30 dias (Ex. do PagSeguro – Moderninha)  e ainda outras onde você recebe a primeira parcela após 30 dias e as outras na sequencia mensal, situação perfeita para o nosso modelo de negócio.

CONCLUSÃO

O fundamental é ter as informações CLARAS para então poder simular exatamente o impacto dessa decisão em seu negócio. A partir disso, você poderá com segurança aproveitar essa ferramenta que, com certeza, ajudará seu negócio a crescer. Não deixe de ver o nosso vídeo comparando as 5 opções mais comuns disponíveis no mercado!

Gostou desse conteúdo?

No vídeo abaixo eu apresento um comparativo entre algumas opções de máquinas disponíveis no mercado. Comparamos taxas, aluguéis e condições gerais para que você possa escolher a melhor AINDA HOJE! >>> ACESSE AQUI O VÍDEO EXPLICATIVO <<<

>>>CLIQUE AQUI E BAIXE NOSSO SIMULADOR DE TAXAS<<<

Nanndo Garbelotti
Pilates Coach & Consultoria