Como lidar com alunos distraídos

Como lidar com alunos distraídos

Você tem alunos distraídos?

Nos estúdios de Pilates encontramos todos os tipos de alunos, não é mesmo? Tem os alunos conversadores, que gostam de fazer sempre a mesma coisa, os que gostam de desafios, os que querem mais é interagir e desabafar, os que querem ficar no celular, tirando fotos, e sempre tem um ou outro aluno que fica no mundo da lua de vez em quando, não é verdade? Perdidos num mundo distante, fora do alcance do instrutor… Mas então, como lidar com esses alunos? Como mantê-los presentes nas aulas? É sobre isso que falaremos hoje.

Bom, primeiro é preciso identificar se o aluno tem por característica ser distraído, ou se ele está assim por algum motivo em específico: problema de saúde dele ou de algum ente querido, preocupação com os filhos, problemas no trabalho, enfim…

Depois, é preciso conhecer com que tipo de aluno você está lidando: visual, cinestésico ou auditivo?

O ser humano dispõe de cinco sentidos: olfato, paladar, tato, visão e audição. O que acontece é que, normalmente, utilizamos um ou dois sentidos mais do que os outros para interagir com o meio. Sabendo identificar isso nos seus alunos, pode ficar mais fácil achar formas de prender a atenção.

Formas de se relacionar com o mundo

Estudos relacionados a Programação Neurolinguística nos dizem cada pessoa percebe o mundo de uma forma diferente – e que isso pode ter a ver com a personalidade, ou mesmo com a predominância cerebral. Existem pessoas que utilizam mais o lado esquerdo do cérebro, por exemplo, e têm mais tendência a utilizar a lógica e ser obsessivas pela organização. Já as que utilizam mais o lado direito do cérebro são mais criativas, flexíveis e inovadoras.

PUBLICIDADE

Alunos visuais
São pessoas que, normalmente, precisam de silêncio quando querem se concentrar. Possuem muita energia e são extremamente observadoras, mas que prezam pela tranquilidade. Apreciam os detalhes das coisas e memorizam com mais facilidade por meio de imagens. Pra prender esse tipo de cliente nas aulas, talvez seja importante você demonstrar os exercícios, mesmo que fora do equipamento, por meio de gestos. Quando for explicar algo, busque exemplos fáceis, que possam ser relacionados a coisas cotidianas, para que eles possam criar suas próprias imagens na mente. Pergunte se preferem não ter nenhum tipo de som durante as aulas. Esse detalhe pode fazer toda a diferença.

Alunos auditivos
São pessoas que gostam de expressar seus sentimentos em voz alta – mesmo quando estão sozinhas. Elas gostam de escutar as outras pessoas, e é assim que memorizam e retêm informações. São muito expressivas e comunicativas, falam muito bem e tem a habilidade de conseguir prestar atenção em várias coisas ao mesmo tempo, sem perder nenhum detalhe de nada. Com esses alunos, você precisa praticar muito comando de voz – e somente ele. Também é necessário que, em alguns momentos, você deixe eles se expressarem, falarem. Para prender esse tipo de aluno, contar histórias sobre Pilates e explicar detalhes dos efeitos dos exercícios pode ser essencial.

Alunos cinestésicos
Eles têm um gosto especial por emoções e tudo aquilo que esteja relacionado com coisas físicas e manuais. São pessoas que gostam de experimentar, de serem desafiadas. Se expressam por meio de abraços e toques, são mais espontâneas e menos introspectivas ou observadoras. Normalmente, nas aulas de Pilates, elas precisam de estímulos constantes, seja por meio de repertório variado, acessórios diferenciados, ou mesmo movimentos desafiadores. Estímulos por meio de toques também são muito bem vindos.

Outras dicas 

Como falamos acima, o ideal é identificar cada tipo de aluno que você tem, para, desta forma, trabalhar de maneira muito específica. Abaixo, trouxemos mais algumas dicas que, dependendo do tipo de pessoa, podem funcionar.

– Conte histórias durante a aula. Assuntos que estejam relacionados com o Pilates, claro. Fale de alunos que superaram limites, conte sobre a trajetória de Joseph, enfim, mantenha os alunos entretidos com assuntos que possam ser de seu interesse.

– Não seja muito parado durante as aulas. Procure se movimentar e trazer o aluno para um ritmo parecido com o seu.

– Lance desafios para os alunos. Quando as aulas são muito repetitivas, as pessoas tendem a ficar entediadas e deixam de prestar atenção. Estimule-os a fazer coisas novas!

– Elogie e parabenize quando seus alunos conseguirem executar um exercício com perfeição. Isso os manterá motivados a esforçarem-se em aprender ainda mais durante as aulas.

– Faça perguntas. Deixe seu aluno sentir que você quer se aproximar dele, que se importa com o que ele sente durante as aulas, com as dores e os progressos.

Tem algum truque que usa com os alunos distraídos? Conte pra gente!

PUBLICIDADE