Leve inovações para as aulas de Pilates

Leve inovações para as aulas de Pilates

Muitas vezes, é comum o professor de Pilates pensar que as aulas dele estão muito repetitivas e que talvez seja necessário realizar mais workshops, mas na verdade não é preciso aprender novos exercícios para inovar. A partir do repertório original do Pilates é possível criar inúmeras possibilidades, apenas desmembrando exercícios e criando sequências que levem ao objetivo final, sem precisar de exercícios mirabolantes!

Uma sugestão é criar temas e/ou focos da semana para as aulas. Como o método de Joseph desafia habilidades como coordenação motora, equilíbrio, resistência e flexibilidade, podemos transformar isso em objetivos para serem realizados na semana. Mesmo os exercícios sendo globais, cada um tem um objetivo específico.

Por exemplo, o hundred trabalha a coordenação motora para manter a estabilidade do tronco na flexão e as pernas estendidas, enquanto você pulsa os braços e respira por cem contagens, mas desafia principalmente a resistência dos abdominais para manter tudo isso! Agora, se você coloca o flex band nos pés e segura suas pontas com as mãos e, além dos pulsos com os braços, você adiciona o movimento das pernas, dobrando na inspiração e esticando na expiração, dará mais assistência aos abdominais por ter um suporte para as pernas com o flex band e desafiará mais a coordenação motora, afinal, tem várias coisas acontecendo ao mesmo tempo!

Pensando nisso, os objetivos do mês podem ser planejados e divididos por focos semanais e ainda programar quais acessórios serão utilizados. Caso trabalhe em um local com mais professores ou coordene uma equipe, você pode criar blocos de exercícios dentro daquele tema que todos deverão utilizar com seus alunos! Isso demonstra uma equipe alinhada e que cria um padrão de aulas, onde o aluno que tem mais de um professor na semana, sinta que existe uma unidade dentro das aulas e não haverá uma diferença enorme entre elas.

Lembrando que essas são apenas algumas sugestões de programação e que fatores como restrições do aluno e patologias também devem ser levados em conta na hora de montar esse planejamento, para que a necessidade de cada um seja considerada.

Outra ideia é usar as redes sociais como aliadas no lançamentos desses desafios semanais. Isso pode vir a ser um diferencial na hora de vender os planos, pois muitos alunos que já fizeram Pilates em outros estúdios reclamam que enjoaram das aulas, pois era tudo sempre igual! Muitas vezes eles precisam praticar Pilates por recomendações médicas, mas param por falta de motivação ou por já terem melhorado aquela condição que os levou até o estúdio.

Essa estratégia ajuda a manter os alunos por muitos anos, pois ele percebe a melhora da situação que o levou ao Pilates – dores, má postura e sedentarismo, por exemplo -, conseguirá manter a prática por muito tempo sem cair na rotina e evoluir cada vez mais dentro dessa metodologia que para mim mais que um repertório, é uma filosofia de vida!

Cabe a nós professores motivarmos nossos alunos a quererem sempre mais e não saírem dos nossos estúdios para procurar outro ou mudar de modalidade!

 

Fernanda Avancini
Educadora Física (O97351-G/SP), instrutora de Pilates, ZEN.GA e TOTAL BARRE (certificação internacional STOTT PILATES)

 

E você, instrutor, o que faz para estimular os seus alunos? Conte pra gente!

Posts em alta

Redes Sociais

Receba as últimas atualizações

Seja dono do seu estúdio

Destaques do mês

confira nosso BLOG

E-books

Baixe gratuitamente os e-books MetaLife e aproveite.

Quem Somos

Um canal que traz o Pilates no centro, dedicado para quem quer empreender, montar um estúdio, ampliar seu negócio e ficar por dentro de assuntos relevantes que cercam a comunidade do Pilates.

©2023. Todos os direitos reservados.

Entre em contato conosco!