Método Pilates contemporâneo pode atuar como complemento ao Clássico

O método Pilates cresce de forma gigantesca e atualmente abrange muitas áreas, como reabilitação, condicionamento físico, fitness e qualidade de vida. Contudo, esse método vem sofrendo alterações ao longo dos anos.

A origem do Pilates se deu no começo do século XX, criado por Joseph Pilates. O uso dos equipamentos clássicos, o mat pilates como base, os 37 exercícios originais, o repertório autêntico nos equipamentos, que gira em torno de 700 exercícios, e os princípios filosóficos aplicados a cada exercício, caracterizam o método original.

O método autêntico aborda todos os princípios, filosofias e exercícios fielmente como Joseph Pilates criou, no qual estão baseados na sua vivência corporal, nos seus estudos do movimento humano e na forma como sentia os efeitos de cada exercício.

Apesar da autenticidade do método ser primorosa e atender muitas necessidades para se obter um corpo saudável, ao longo dos anos a ciência vem mostrando como o corpo se comporta, como as posições dos exercícios geram demandas maiores em estruturas importantes, como da coluna vertebral, por exemplo.

A ciência também mostra como o processo de crescimento de todos os métodos ligados ao movimento humano vem sofrendo. É preciso entender que a ciência hoje, demonstra descobertas em áreas importantes como biomecânica, neuroplasticidade e cinesiologia que embasam o método de forma a gerar resultados na área de reabilitação e condicionamento neuromuscular.

PUBLICIDADE
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates
MetaLife Pilates

Pilates Contemporâneo

Por isso, atualmente não se pode deixar a ciência de lado e a partir daí surge o método Pilates Contemporâneo, no qual tem o objetivo de somar ao método original conhecimentos biomecânicos, cinesiológicos e da plasticidade musculoesquelética, descobertos por meio de pesquisa científica. O intuito dessas pesquisas é agregar informações para que o método cresça sem perder a sua essência.

Tudo o que o Joseph construiu sobre o método original foi baseado em seus estudos da época. Ele era um estudioso, estava muito além da sua geração. Ele já falava de conteúdos fisiológicos que hoje são muito estudados pela ciência, como a ativação de músculos profundos, ao invés de simplesmente ativar músculos superficiais. Se ele ainda fosse vivo, com certeza, a ciência o teria tomado e ele teria amplificado seus conhecimentos e melhorado o método ainda mais.

Portanto, o método original é a base fiel para todos os profissionais que trabalham com o Pilates. Lembrando que o Pilates não é um método simplesmente feito com um curso de formação, ele é hoje uma carreia e, entendendo dessa forma, todos que estudam querem sempre agregar mais ao método original.

Por isso, o Pilates contemporâneo vem com o objetivo de agregar novos conhecimentos e gerar adaptações aos padrões originais para somar e melhorar a resposta plástica e músculo esquelética do indivíduo.

Defendo que não há uma linha melhor que a outra, há o Método Pilates Clássico ou Original como base e o Pilates contemporâneo, a sua complementação. Logo, deve-se ter um olhar aberto para as duas versões, embora entendendo que o método é único. Particularmente gosto do Pilates Clássico Científico, pois este é o original visto pelos olhos da ciência.

E você, empreendedor, com que tipo de Pilates costuma trabalhar?

Profª. PHD Eliane Coutinho
A Fisioterapeuta é especialista em Avaliação do Aparelho Locomotor, Mestre em Processos de Avaliação e Intervenção em Fisioterapia e Doutora-PHD em Fisioterapia: Subárea em Plasticidade Músculo Esquelética

Leia Mais:
Aposte na carreira Pilates
Diferencie suas aulas com acessórios