Tipos de alunos de Pilates

Tipos de alunos de Pilates

Quando comecei a atender os pacientes com o método Pilates, desconhecia suas características individuais, os modelos de processamento cerebral e, muitas vezes, me preocupava apenas com os exercícios e sua correta execução. Falava pouco e quase não interagia com eles. Talvez porque aprendi que o método Pilates deveria ser realizado com absoluta concentração. Afinal, foi criado por um rígido alemão que, segundo relatos, saía bravo do estúdio quando o aluno não executava corretamente o exercício! Graças a Deus nós “abrasileiramos” o método com aulas divertidas e com boas gargalhadas. Assim, depois de algum tempo atendendo diversos tipos de pacientes e observando suas demandas, tive de me adaptar às características de cada um.

Algumas peculiaridades dos alunos de Pilates, e como o professor deve se adequar para atender melhor cada tipo de pessoa, foram descritas abaixo. Contudo, cabe ressaltar que temos os três tipos de processamento cerebral, mas predominantemente um dos perfis abaixo:

Auditivos
Os alunos auditivos gostam de escutar outras pessoas e assim retém mais informação, são calmos e focados, e também se comunicam verbalizando. Com esses alunos, o professor de Pilates deve ter bom comando verbal e eles entenderão a execução correta apenas ouvindo você. Cuidado com excessos de sons. O aluno auditivo capta sons ultrassônicos. Até o barulho de uma mola pode incomodar e tirar a concentração.

Visuais
Os alunos visuais são ansiosos, agitados e conseguem realizar exercícios mais complexos. Eles precisam de silêncio para se concentrar, e nem adianta o professor falar e falar… eles assimilam mesmo é vendo o professor executar os exercícios, pois são observadores. Para eles o bom professor de Pilates deve treinar o repertório do método, para quando for demonstrar fazê-lo bem feito! Afinal, ninguém gosta de ver professor fasciculando na demonstração do exercício.

Cinestésicos
Os alunos cinestésicos gostam de experimentar, aceitam bem os desafios nas aulas de Pilates, são espontâneos, inquietos e gostam de pessoas. Com eles você pode falar, demonstrar, tocar, mas os oriente com cuidado, pois um descuido na concentração e eles podem facilmente se machucar.

PUBLICIDADE

Aproveite as dicas acima e observe melhor cada aluno. Quem disse que seria fácil ser um bom professor de Pilates?

Érika Batista
Fisioterapeuta/ CREFITO 167261-F
Mestre em Ciências da Reabilitação
Professora do Grupo Voll Pilates
Professora do FisioStudio Pilates & Funcional

PUBLICIDADE